Categorias
Notícias

Aplicativo falso de namoro online rouba quase US$4 milhões de vítimas

O malware identificado no ataque foi o Android.Enesoluty, projetado para roubar informações do usuário e enviá-las a um servidor remoto.
Um aplicativo de namoro online falso, conhecido pelo nome de Sakura, roubou 3,9 milhões de dólares de vítimas, afetadas entre os meses de setembro de 2012 e abril de 2013.

O grupo de nove cibercriminosos por trás do ataque foi preso pela polícia da cidade de Chiba, no Japão.

De acordo com as informações do blog da Symantec, em um período de oito meses, cerca de 150 domínios foram registrados para hospedar as aplicações maliciosas da quadrilha, que foram capazes de coletar 37 milhões de e-mails de usuários a partir de 810 mil dispositivos Android.

O malware identificado no ataque foi o Android.Enesoluty, que foi classificado pela Symantec com nível de infecção “baixo”. Mesmo não parecendo tão perigoso, o Cavalo de Troia foi projetado para roubar informações do usuário e enviá-las a um servidor remoto.

Segurança móvel

De acordo com o relatório “Internet Security Threat Report”, da Symantec, o aumento de malwares móveis nos últimos 12 meses foi de 58%.

Para evitar cair em armadilhas móveis como esta, que resultam no furto de informações pessoais e sigilosas, vale seguir os seguintes cuidados:

  • Desconfie de SMS ou e-mails estranhos que peçam informações sigilosas ou pessoais;
  • Cuidado ao baixar aplicativos móveis. Verifique a procedência dos apps e apenas realize downloads a partir de locais credenciados, como App Store e Google Play;
  • Realize transações financeiras ou compras pelo celular em conexões Wi-Fi domésticas e com proteção. Busque comprar apenas em sites oficiais e confiáveis;
  • Sempre defina um código de acesso (senha) para bloquear e desbloquear o smartphone ou tablet;
  • Mantenha os equipamentos conectados à Web protegidos com softwares de segurança originais e atualizados.

Via: IDGNOW 

Categorias
Internet

O que acontece na internet em um minuto

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Vídeo mostra números do que rola na rede em 60 segundos

A internet é grande. Muito grande. Gigantesca. Para ilustrar isso, o BuzzFeed fez um pequeno vídeo com números do que acontece na web em apenas 60 segundos.

No próximo minuto mais de 2 milhões de buscas serão feitas no Google; o Instagram receberá 27.800 fotos – com mais de 510 mil likes; 278 mil tuites serão enviados; 1,875 milhão de posts receberão likes no Facebook e a rede ainda ganhará 208.300 novas fotos; 200 mil pessoas assistirão a pornografia online; 6 artigos serão publicados na Wikipedia; 204 milhões de e-mails serão enviados, sendo que 132,6 milhões serão apenas spam; a Amazon venderá US$ 83 mil em produtos; 100 horas vídeo serão postados no YouTube e terão mais de 2,7 milhões de views.

No YouTube, o site ainda linka as referências de onde tirou cada estimativa. Inclusive, às 10h30 desta segunda-feira, 27, o vídeo já passa dos 167 mil views — provando como a internet realmente é grande.

Via: Olhar Digital 

Categorias
Curiosidades

Conheça as primeiras mulheres da tecnologia

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Condessa de Lovelace e Grace Hopper foram responsáveis por contribuições notáveis no setor

O mundo da tecnologia já não é mais dominado por homens. Marissa Mayer, do Yahoo!, e Meg Whitman, da HP, estão aí para provar que há espaço suficiente no mercado para a feminilidade. Mas quem acha que a entrada da força feminina no setor é novidade, se engana. A história mostra que a tecnologia se desenvolveu graças às contribuições de suas mulheres do início do século 19 e 20. Conheça seus perfis.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

A primeira programadora

Entre 1842 e 1843 Ada criou notas sobre a máquina analítica de seu marido, que foram republicadas mais de cem anos depois. A máquina foi reconhecida como primeiro modelo de computador e as anotações da condessa como o primeiro algoritmo especificamente criado para ser implementado em um computador.

Augusta Ada King, conhecida como Condessa de Lovelace, é considerada a primeira programadora da história. Ela ajudou o marido, Charles Baggage, no desenvolvimento da primeira máquina de cálculo, além de ser responsável pelo algoritmo que poderia ser usado para calcular funções matemáticas.

Lovelace nasceu em 1815 e morreu em 1852. A máquina que ela ajudou a criar não foi construída durante o tempo de vida da condessa. No entanto, em 1982, uma linguagem de programação estruturada ganhou o nome de Ada em sua homenagem.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

A ‘mãe’ do COBOL

Quase um século depois, Grace Murray Hopper (1906 – 1992), oficial da marinha norte-americana, criou a linguagem de programação Flow-Matic, que serviu de inspiração para o desenvolvimento do COBOL – COmmon Business Oriented Language ou Linguagem Orientada aos Negócios, que funciona principalmente em sistemas comerciais, financeiros e administrativos para empresas e governos.

Em 2011, dados da consultoria Gartner afirmavam que existiam mais de 200 milhões de linhas do COBOL, responsável por mais de 30 milhões de transações por dia.

Na época, 60% a 80% das empresas de todo o mundo dependiam da linguagem para gerir seu negócio. Este percentual não mudou muito nos dias atuais.

Além da imensa contribuição com o Flow-Matic, a analista de sistema ainda foi a primeira a cunhar a palavra ‘bug’ para definir falhas computacionais.

Via: Olhar Digital 

Categorias
Google

Google explica como são realizadas as buscas

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Em um site desenvolvido pelo Google e que foi colocado no ar há poucos dias, a empresa mostra como, afinal, funcionam os seus mecanismos de buscas na internet e como é complexo o processo por trás da exibição dos resultados em sua página inicial.

Disponível em um formato mais simples, e que conta com suporte para português, o site também pode ser visualizado na forma de um infográfico interativo, porém em inglês: à medida que o usuário rola o site para baixo, novas informações sobre o processo são acrescentadas à tela.

Tudo começa no momento em que se digita o termo desejado na barra de buscas do Google. Uma vez que o usuário pressiona a tecla “enter”, os servidores da empresa começam então a rastrear e indexar os resultados. Com base no termo buscado, os servidores procuram nas mais de 30 trilhões de páginas individuais que formam a web aquelas cujos assuntos têm alguma relação com a demanda feita.

Em seguida, explica o Google, entram em jogo os algoritmos, programas e fórmulas desenhados pelos engenheiros da empresa. Através deles, o buscador procura por pistas que tenham a ver com o termo buscado pelo usuário. Estas pistas levam em conta aspectos como, por exemplo, a região na qual a pessoa esta e também a qualidade dos sites que exibem o conteúdo procurado. Mas estes são apenas dois dos cerca de 200 fatores que o Google analisa em segundos antes de oferecer os resultados.

Outra fase do processo de exibição de resultados é a filtragem de spams, as detestáveis mensagens eletrônicas enviadas para milhares de usuários. Segundo a empresa, a luta para banir os spams acontece diariamente e a maioria pode ser removida de forma automática.

Alguns documentos, contudo, precisam ser examinados manualmente. O mapa termina com uma estatística que deixa claro o poder da página inicial do Google: em menos de um minuto de navegação no hotsite, mais de 2 milhões de buscas foram realizadas mundo afora.

Veja neste vídeo do Google, em inglês, mas com legendas em português, alguns exemplos de informações que podem ser encontradas em sua página de buscas:

Via: Info 

Categorias
Curiosidades

Brasileiro gasta mais de 10 horas do mês com redes sociais

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

O internauta brasileiro gastou, em média, 10 horas e 26 minutos com redes sociais em janeiro deste ano.

Os dados são do estudo Net Insight, do Ibope Media, e mostram que houve crescimento de 13,5% no tempo em relação a 2012.

Também houve aumento quanto aos sites de vídeos e filmes, que atraíram o internauta por 1 hora e 52 minutos, 14,8% a mais.

Segundo o Ibope, existem atualmente 72,4 milhões de brasileiros com acesso à rede em casa ou no trabalho, sendo que 53,5 milhões são considerados ativos.

O maior pico de acessos durante o mês foi às 17h, quando 73% estavam conectados. E a faixa etária mais assídua era a que vai dos 25 aos 49 anos, que representa 52,7% dos usuários ativos.

Ficou interessado nestes números? Quer atingir este percentual e trabalhar a imagem da sua empresa na internet? Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudá-lo.

Via: Olhar Digital

Categorias
Google

Dê uma espiada no novo Google SP

Imagem Divulgação

O novo escritório do Google em São Paulo contará com um enorme e belo painel que homenageia a cidade, o Mural São Paulo. A obra foi feita pelo artista plástico Vitor Rolim.

Fotos e vídeos de todo o processo foram publicadas por Rolim em sua página pessoal no Google+, e mostram um pouco do novo espaço da empresa na capital paulista. No perfil também estão disponíveis vários Hangouts que permitem conhecer algumas etapas da produção do painel, além de darem uma chance para Rolim explicar o trabalho. Ele contou com uma equipe de apoio de cinco pessoas. “Usei apenas canetão, ou seja, caneta marcadora preta sobre a parede branca”, afirmou Rolim.

O desenho, todo em preto-e-branco, cobre três paredes e reúne referências sobre a metrópole. É possível ver os pontos turísticos conhecidos, como o Museu de Arte de São Paulo (Masp), o Copan, o Parque do Ibirapuera, a Ponte Estaiada, o Memorial da América Latina, o Monumento às Bandeiras e a Estação da Luz. Todos ficam em meio a um caos de construções e edifícios, numa representação bem fiel à metrópole. O centro da parede mais larga é dominado por uma figura com rosto humano e corpo formado por edifícios.

Rolim contou que a decisão sobre como seria o painel foi tomada em conjunto com o Google, depois de uma série de conversas que duraram aproximadamente um mês. Segundo ele, no ano que vem ainda serão feitos alguns ajustes. O trabalho terminou no dia 11 de outubro. Veja, abaixo, uma galeria de imagens do Mural São Paulo.

Via: Info 

Categorias
Google

Site lista coisas que não fazemos mais sem o Google

Imagem Divulgação

Para comemorar os 14 anos do Google, completados nesta quinta-feira, o site Huffington Post fez uma lista de “coisas que não fazemos sem o Google” hoje em dia

Imagem Divulgação

Soletrar: na dúvida sobre como escrever uma palavra, pergunte pro Google

Imagem Divulgação

Espionar (ou “stalkear”) a vida dos outros: porque às vezes o Facebook não é o suficiente

Imagem Divulgação

Encontrar endereços: para saber como chegar, dê uma olhada no Google Maps antes

Imagem Divulgação

Descobrir e lembrar receitas: com poucos cliques dá pra encontrar inspiração para o jantar

Imagem Divulgação

Encontrar distração no meio do expediente: o YouTube nunca falha em desconcentrar com vídeos como Gangnam Style

Imagem Divulgação

Andar de carro sem motorista: por enquanto pouca gente já pegou carona nos automóveis do Google, mas no futuro isso pode mudar

Imagem Divulgação

Pesquisar programação de cinema: será que alguém ainda recorre ao jornal de papel para isso?

Imagem Divulgação

Entender palavras em outros idiomas: leva só alguns segundos no Tradutor do Google

Imagem Divulgação

Solucionar discussões: ao invés de ficar batendo boca pra descobrir se uma informação está certa ou errada, basta uma busca pra resolver o impasse

Via: Tecnologia Terra 

Categorias
Curiosidades

Luxo: iPad de ouro, TV com diamantes; veja gadgets muito caros

Imagem Divulgação

Navegar por sites de comércio online revela alguns produtos estranhos, ostensivamente decorados com pedras preciosas ou simplesmente caros demais. O público-alvo desses gadgets revela que não há nada no mundo eletrônico que não possa ser incrustado com joias ou pintado em ouro. Como esse iPad 2 dourado, por exemplo, que custa a bagatela de US$ 7,944,000. Veja a seguir outros exemplos, reunidos pelo Mashable

Imagem Divulgação

Na mesma linha dourada, estas caixas de som podem não ser melhores que as comercializadas normalmente, porém contam com muito, muito ouro ao seu redor. Preço? US$ 4,700,000

Imagem Divulgação

Para quem acha que apenas o tamanho da tela e qualidade da imagem não importam, este televisor cravejado de diamantes está à venda por US$ 130,000

Imagem Divulgação

Inspirada no filme Tron, esta motocicleta elétrica deve agradar aos fãs – ao menos aqueles que têm US$ 55,000 para desembolsar

Imagem Divulgação

É a evolução da mesa de sinuca. Por US$ 25,000, os jogadores poderão acompanhar suas jogadas refletidas em imagens digitais que acompanham o movimento das bolas

Imagem Divulgação

Inspirado nos aliens pixelizados de jogos de arcade, este sofá retrô promete sozinho garantir motivos para se começar uma conversa – pelo preço de US$ 5,000

Via: Tecnologia Terra 

Categorias
Notícias

Pinterest ganha versão em português brasileiro

Imagem Divulgação

Site também suportará ‘espanhol latino-americano’ e ‘espanhol europeu’

O Pinterest ganhará uma versão em português do Brasil ainda nesta semana. Além da nossa língua pátria, também serão adicionadas opções de tradução em ‘espanhol latino-americano’ e ‘espanhol europeu’.

“Agradecemos novamente a todos os tradutores que ajudaram a tornar o lançamento de hoje possível. Se você estiver aguardando o Pinterest em seu idioma, fique ligado!”, diz o comunicado publicado pelo site de pesquisa de imagens, anunciando que outros idiomas estão por vir.

Se você possui uma conta Pinterest registrada no Brasil, o sistema fará a tradução da página automaticamente. Mas, se isso não acontecer, basta ir nas configurações do seu perfil, acessar o menu no canto direito da tela e fazer a modificação.

Via: Olhar Digital

Categorias
Tecnologia

Bike Fit: a tecnologia a serviço dos ciclistas

Sistema ajusta bicicleta ao usuário, a partir de medidas super precisas

Muita gente prefere só passear aos finais de semana; tem quem já adotou a bike como meio de transporte; outros treinam pesado para competir profissionalmente. A questão é que em todos os casos, o encaixe do ciclista na bicicleta não é mero detalhe.
O sistema de análise biomecânica que ajusta a bicicleta ao usuário é chamado Bike Fit. Traduzindo livremente o termo para o português seria algo como o encaixe do ciclista na bike.

Existem diversas formas de se fazer o Bike Fit. Baseados em fórmulas e medidas, nos métodos mais tradicionais, um profissional mede os membros do ciclista, sua flexibilidade e as distâncias da bike para ajustar a postura ideal do atleta. Hoje, com avanços tecnológicos e ferramentas de última geração, existe uma nova forma, mais prática e precisa, de fazer esse encaixe.

Este é o sistema mais moderno de Bike Fit. Aqui, sensores infravermelhos são colocados nas principais articulações do ciclista. Do outro lado da sala, fica este equipamento composto por um sensor de profundidade e uma câmera capaz de identificar os sensores em movimento. Dentro do aparelho, um microcomputador processa as informações em tempo real para criar um mapa de profundidade da imagem captada em três dimensões. No PC, um software é responsável por compilar quase 30 medidas do corpo e as apresentar na tela, de forma bastante didática e ilustrativa.

A principal diferença desse para outros métodos mais tradicionais é que as medições são todas feitas com o atleta em movimento, para simular como se ele estivesse realmente pedalando. Nos métodos mais convencionais, o Bike Fit é todo estático, ou seja, com o ciclista parado em cima da bike!

A coleta de dados é bem rápida; 15 segundos de avaliação são suficientes para analisar cada ponto de articulação do ciclista. Toda informação coletada é usada para ajustar a bicicleta. A precisão é milimétrica.

Outra ferramenta interessante é o digitalizador de bicicletas. É esta espécie de caneta quadrada com sensores infravermelhos nos cantos. Graças a ela, o profissional não precisa tirar cada medida da bike ponto a ponto.

Via: Olhar Digital