Categorias
Internet

Design responsivo é fundamental para crescimento do e-commerce por smartphones e tablets

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Quantos sites você já acessou por meio do smartphone ou tablet e ficaram com uma visualização completamente disforme? Fazemos um zoom-in e out incessante, na tentativa de ler o conteúdo e acessar os links que aparecem muitas vezes com chamadas pela metade. Fora a dificuldade de navegação, que muitas vezes retorna à pagina inicial quando queríamos voltar somente à anterior.

Essa é uma realidade que acontece com frequência, porque a grande maioria dos sites é pensada apenas para desktops e notebooks, mas são cada vez mais acessados por dispositivos móveis. De acordo com o IBGE, em 2013, o número de celulares com acesso à rede chegou a quase 40 milhões, e a expectativa da consultoria IDC estima que os tablets, que já ultrapassaram os notebooks nas vendas, cheguem a 7,2 milhões de unidades vendidas até o final do ano.

As páginas que não oferecem uma boa experiência para as pessoas não são poucas e estão presentes em todos os segmentos, inclusive no e-commerce. As compras realizadas por dispositivos móveis (m-commerce) vêm crescendo ano a ano, e o mercado tem grande potencial. Apesar disso, as 21 principais lojas que concentram 80% do faturamento do comércio eletrônico no Brasil apresentam sérios problemas de navegação mobile, que fazem com que os consumidores desistam de adquirir um produto no meio do processo, prejudicando diretamente as vendas.

A grande complexidade para os programadores é o fato do mercado brasileiro ser dominado por smartphones básicos com conexão lenta, e o grande número de dispositivos com diferentes versões do sistema Android se torna um agravante.

A solução está no chamado “design responsivo”, que vem sendo integrado gradativamente. Trata-se de uma combinação de tecnologias de programação e design que permite ao site customizar suas páginas de acordo com os diferentes tamanhos de telas que o acessa. Desta forma, o layout é automaticamente adaptado para a melhor navegação.

Igualmente importante ao desenvolvimento da estrutura é certificar que ela funciona corretamente, realizando testes e mais testes, nos mais diversos aparelhos disponíveis no mercado. Quanto menor a taxa de erros, maior o número de visitas, o que, para o e-commerce, pode representar aumento no faturamento.

Uma  das plataformas online que oferecem esse recurso é o ME Online  plataforma que é totalmente responsiva.

Via: E-commerce News

Categorias
Facebook

Facebook prepara aplicativo mais leve para celulares

Facebook divulga preparativos para aplicativo mais leve para celulares.

O gigante americano das redes sociais, Facebook, prepara um aplicativo mais leve para os telefones celulares clássicos, “Facebook for every phone” (Facebook para todos os telefones), informou no domingo o New York Times em seu site.

O gigante americano das redes sociais, Facebook, prepara um aplicativo mais leve para os telefones celulares clássicos, “Facebook for every phone” (Facebook para todos os telefones), informou no domingo o New York Times em seu site.

O aplicativo, que exige menos dados informáticos que os aplicativos atuais do Facebook para Android ou iPhone, deve permitir que os detentores de telefones celulares clássicos tenham acesso ao Facebook de seu telefone, como fazem atualmente as pessoas que possuem smartphones, disse o jornal.

Segundo o New York Times, o Facebook deve anunciar em breve os resultados deste projeto, no qual trabalha há dois anos.

O “Facebook for every phone” tem por objetivo alimentar o crescimento do grupo nos países emergentes, onde os telefones celulares tradicionais ainda são a regra, enquanto o crescimento dos utilizadores da rede social está se estancando nos países desenvolvidos.

Via: Info

Categorias
Tecnologia

Adobe lança Photoshop Touch para celular

É possível fazer trabalhos usando smartphone, tablet e computador

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Usuários de smartphones com as últimas versões de Android e iOS agora podem baixar a edição reduzida do Photoshop Touch, que antes só estava disponível para tablets.

Liberado nessa terça-feira, 26, o app pode ser baixado por US$ 4,99 nas lojas do Google e da Apple.

Com o Photoshop Touch é possível melhorar imagens usando camadas, ferramentas de seleção, filtros, ajustes de cor e tom, entre outros recursos.

A empresa explica, em comunicado, que o usuário pode começar um trabalho no smartphone, continuar no tablet e, depois, terminar no computador, pois o aplicativo mantém tudo sincronizado.

Via: Olhar Digital

Categorias
Celular

Celular dual chip Galaxy S Duos chega ao Brasil por R$ 1.049

Imagem Divulgação

A Samsung anunciou a chegada ao Brasil de seu smartphone Galaxy S Duos, com design similar ao do Galaxy S III e suporte para dois chips.

O aparelho chega ao mercado nacional equipado com sistema Android 4.0 Ice Cream Sandwich, memória interna de 3GB, processador single core de 1GHz, bateria de 1500mAh e tecnologia Dual SIM Always On que permite receber ligações nos dois chips simultaneamente.

Imagem Divulgação

O Galaxy S Duos também possui câmera de 5MP, conectividade 3G e Wi-Fi, GPS e tela de 4 polegadas com resolução WVGA (480 x 800 pixels).

O smartphone já está disponível nos principais varejistas do Brasil e tem preço sugerido pela Samsung de R$ 1.049 (desbloqueado).

Imagem Divulgação

 

Via: Info

Categorias
Celular

Conheça os dois novos smartphones Lumia da Nokia

Imagem Divulgação

A segunda geração da linha Lumia foi mostrada pela Nokia em um evento nesta quarta-feira, 5, em Nova York. A fabricante finlandesa apresentou suas novas armas na briga dos smartphones: o Lumia 920 e o Lumia 820, dois aparelhos que rodam o Windows Phone 8 e serão lançados ainda neste ano.

O evento teve como principal foco o novo telefone topo de linha da Nokia, o Lumia 920. Ele é uma evolução do Lumia 900, lançado em 2011. O novo smartphone será equipado com um processador dual-core Snapdragon S4, da Qualcomm, de 1,5 GHz, e terá tela com resolução 720p – o que só é possível no Windows Phone 8, e não era no WP7.5.

Imagem Divulgação

As novidades do Lumia 920 aparecem principalmente na câmera, equipada com a tecnologia PureView, também presente no 808 PureView. A câmera não tem os 41 megapixels do smartphone com Symbian – ela tira fotos com 8,7 megapixels – mas recursos para melhorar a qualidade das imagens aparecem no novo telefone.

A importância da câmera no novo telefone foi destacada por Jo Harlow, vice-presidente executiva da Nokia. “2012 é o ano em que as fotos tiradas com celular vão superar as tiradas com câmeras tradicionais”, explicou Harlow. “A estimativa é que atualmente sejam tiradas 1,4 bilhão de fotos com celulares diariamente”.

Por isso, o Lumia 920 chega com o foco na sua câmera digital. A Nokia promete melhor qualidade nas imagens mesmo em fotos tiradas em ambientes fechados e com pouca luz, que não ficam tão boas como as tiradas em lugares abertos e iluminação natural.

Recursos de localização foram integrados e são usados em parceria com outras funções do celular. Um dos novos apps é chamado Nokia City Lens e usa a câmera do smartphone para mostrar informações do lugar em que o usuário está a partir de realidade aumentada. Ao apontar o Lumia 920 para um restaurante, por exemplo, informações sobre ele aparecem na tela do telefone e o usuário pode até ligar para reservar uma mesa.

Outros recursos, como o Nokia Mapas, o Dirigir e o Transporte, ganharam algumas melhorias. Os mapas podem ser acessados offline e continuam com as mesmas funções de quando estão online, enquanto o Transporte agora exibe a localização exata de que parte de um terminal a linha de ônibus desejada pelo usuário vai sair.

Lumia 820

O Lumia 820 não ganhou tanto destaque quanto o seu irmão mais velho, mas algumas informações sobre ele foram divulgadas. O telefone não terá a tecnologia PureView na câmera e virá com um hardware inferior. No entanto, a Nokia promete quase todos os recursos do 920 também no smartphone intermediário, como a integração dos serviços de localização, por exemplo.

Ele será equipado com um processador S4 dual-core de 1,5 Ghz e terá 8gb de armazenamento interno. A tela tem 4,3 polegadas e a câmera é de 8 megapixels.

Imagem Divulgação

Uma das características mostradas do 820 é a parte traseira removível, que pode ser trocada por outra e, assim, você pode deixar o seu telefone da cor que quiser.

Os dois smartphones terão carregadores sem fio que serão vendidos separadamente. Para carregar o aparelho, basta colocá-lo em cima de uma almofada chamada “Fatboy” (Garoto gordo).

Imagem Divulgação

Windows Phone

Alguns recursos do WP8 foram demonstrados durante o evento. Joe Belfiore, vice-presidente corporativo da Microsoft, apresentou as novidades da tela inicial do sistema. Agora ela é bastante personalizável e há quatro tamanhos diferentes para os tiles. Essa novidade já tinha sido apresentada em junho, junto com a demonstração do novo sistema móvel da Microsoft.

Steve Ballmer, CEO da desenvolvedora do Windows, teve uma rápida participação durante o evento e falou sobre o futuro da sua plataforma. Segundo o executivo, esse ano será o “ano do Windows”, com o lançamento do Windows 8, do WP8 e de tablets que usam a plataforma da empresa. Ele acredita que, nos próximos 12 meses, 400 milhões de dispositivos com Windows serão comercializados pelo mundo.

A Nokia não divulgou a data de lançamento dos dispositivos, mas o CEO da empresa, Stephen Elop , prometeu os novos Lumia para o último trimestre deste ano.

Via: Olhar Digital

Categorias
Celular

Smartphones causam lesões, diz pesquisa

Imagem Divulgação

HC alerta para lesões causadas por smartphones 

O uso cada vez mais frequente de smartphones, telefones que se parecem com computadores, está provocando o aparecimento de novas lesões nas mãos de seus usuários, entre elas as conhecidas como “textingtendinitis”, mais comuns nos dedos polegares, informa o Instituto de Ortopedia de Traumatologia do Hospital das Clínicas.

Nos smartphones, mandar mensagens e responder e-mails são feitos na maioria das vezes com o uso do polegar, também o responsável por segurar o aparelho e, por conta disso, o dedo acaba enfrentando um ritmo maior do que o que foi feito para enfrentar gerando as lesões, segundo a Secretaria de Estado da Saúde.

Um estudo canadense feito com 140 universitários mostrou que 84% apresentavam alguma dor. A mais relatada foi a do polegar. O uso do navegador de internet aumenta em 2,21 vezes as chances de desenvolver dor no polegar quando comparado com usuários de celular sem internet, segundo a Secretaria.

De acordo o ortopedista Mateus Saito, “para cada clique que o polegar realiza há um movimento de extensão que, após várias mensagens, acaba por causar microlesões no tendão extensor que se inflama”, explica. “A articulação da base do polegar também se inflama pelo excesso de atrito do movimento circular deste dedo”, completa.

Para evitar essas lesões e atenuar esses problemas causados nas mãos pela digitação excessiva nos celulares, o ortopedista dá algumas dicas. Além de evitar longos períodos digitando e fazer alongamentos periódicos, o ortopedista aconselha evitar digitar com a mesma mão que segura o celular, ou apoie o celular.

Se o envio da mensagem não for urgente, procurar usar o teclado do computador mas em caso de necessidade do uso excessivo destes aparelhos, procurar profissionais que orientem nos exercícios que fortaleçam as mãos. As inflamações causadas pelo uso dos smarthphones tendem a melhorar com o uso de bolsa de gelo e analgésicos, aconselha.

Via: Info 

Categorias
Celular

Omnia W: um Windows Phone econômico

Não se trata de um smartphone básico, mas este é um dos mais baratos entre os modelos com o Windows Phone 7.5. As principais diferenças para aparelhos de topo de linha são a tela e a memória interna menores. Apesar disso, a performance fica no mesmo nível. Só que, como Windows Phones não aceitam cartão de memória, a oferta de espaço para arquivos ganha mais importância.

Imagem Divulgação

Os smartphones com Windows Phone 7.5 são muito similares no que diz respeito ao system-on-a-chip. Para falar dos modelos que temos à nossa disposição, o HTC Ultimate, os dois Lumia e o Omnia aqui resenhado utilizam o mesmo Snapdragon S2. Ou seja, todos se valem de um núcleo de CPU que roda a uma frequência básica de 1,4 GHz. Tal convergência fala a favor do Omnia: se até aparelhos avançados como o Ultimate e o Lumia 800 estão utilizando esse chip, os eventuais donos do Omnia podem ter certeza que estão adquirindo um dos telefones mais poderosos do ecossistema Mango atual. Aliás, mesmo que estivéssemos falando de um Android, o Snapdragon S2 não deixaria de ser uma boa escolha de SoC para um celular intermediário como esse.

Dentro do “pacote” Snapdragon a GPU Adreno 205 opera ao lado da CPU. Trata-se de processador gráfico já um tanto ultrapassado, mas que mantém um desempenho sólido no cenário atual. Sem entrar em detalhes a respeito de seu funcionamento, a consequência mais visível dessa escolha de GPU está na codificação de vídeo. Telefones que utilizam a Adreno 205 só conseguem produzir e reproduzir vídeos de no 720p. Quem só assiste a filmes no notebook e no próprio celular não vai sentir falta do 1080p. Essa limitação só prejudica aqueles que gostam de centralizar tudo em uma TV Full HD ou em um notebook substituto de desktop.

Imagem Divulgação

De qualquer maneira, é difícil dizer se vídeos de resolução maior seriam viáveis no Omnia por um motivo simples: memória. Esse smartphone oferece apenas 8 GB de armazenamento interno. Como comentamos acima, a forma como o Windows Phone 7 gerencia a memória não admite cartões SD, o que elimina qualquer possibilidade de expansão. Sempre existem outras soluções de armazenamento para auxiliar aparelhos móveis: um storage acoplado à rede sem fio, por exemplo. Mas se você é o tipo que gosta de levar filmes consigo para assistir durante uma viagem, o Omnia não é o smartphone mais indicado.

Outra peculiaridade que dificulta a fruição de vídeos em Full HD é a ausência de uma conexão HDMI no telefone. Não que tal porta fosse esperada em um celular intermediário, seja qual for o ecossistema ao qual ele possa pertencer. O Omnia
se comunica com o mundo através do pacote básico dos smartphones: microUSB, P2, Wi-Fi, Bluetooth, A-GPS e, é claro, as redes de dados de celular. Todas essas portas são contidas por um corpo de design modesto que não oferece nenhuma proteção às conexões externas (P2 e USB). Um diferencial interessante para quem não consegue se decidir entre o Omnia e o Lumia 710 é a presença de um giroscópio no primeiro.

O Mango é um sistema proprietário, portanto não há muitas diferenças entre analisado nesta resenha e o que habita outros modelos do mesmo SO. O sistema mantém sua simplicidade e beleza marcantes, diferentes de tudo que foi lançado no mercado até agora. Constante também é a velocidade de resposta do sistema e de todos os aplicativos primários. No caso do Omnia, além de uma cor verde especial para os ícones, a Samsung instalou uma pequena coleção de aplicativos, incluindo um editor de imagem, um leitor de RSS e um serviço de meteorologia. O mais interessante deles é o AllShare, um servidor de DLNA que originalmente foi desenvolvido para os celulares Android da empresa.

Quanto às novidades do Windows Phone em si, a maior diz respeito a um serviço externo: o SkyDrive. Recentemente a Microsoft reformulou o SkyDrive para que ele se tornasse um storage online de funcionamento similar ao do DropBox. Como não existe aplicativo oficial do DropBox para Windows Phone (embora existam alternativas de boa qualidade), esse upgrade do SkyDrive é muito bem vindo. Para refrescar a memória, é bom lembrar que o player do Mango é capaz de tocar trilhas sonoras em MP3, WAV, WMA e eACC+, assim como é capaz de reproduzir vídeo em WMV, H.264 e H.263.

O Windows Phone é, por razões muito fortes, um sistema sedutor. Mas quem decide desbravar as terras ainda pouco exploradas desse SO deve estar ciente de algumas questões. Primeiro, o Mango ainda tem um ecossistema imaturo quando comparado ao iOS e ao Android. Segundo, o Windows Phone 8 não está muito longe de ser lançado. O novo sistema traz modificações profundas para a plataforma mobile da Microsoft e tudo indica que aparelhos com o Mango não se beneficiarão do update. Ainda assim, não há motivo para abandonar o barco: aplicativos desenvolvidos para Windows Phone 7 poderão rodar no Windows Phone 8, o que significa que o ecossistema de um não será prejudicado pela chegada do outro.

A câmera do Omnia tem a contagem mínima de pixels estabelecida pela Microsoft: 5 MP. A Samsung obviamente não priorizou essa faceta do telefone e o resultado são fotos e vídeos medíocres que dispensam grande parte dos detalhes da cena. Há aqui, no entanto, um item que pode resolver o dilema de quem não consegue decidir entre o Lumia 710 e o Omnia: uma câmera frontal. Trata-se de uma unidade extremamente simples de 0,3 MP, mas já é melhor do que nada.

Por fim, a tela de 3,7 polegadas usa o mesmo Super AMOLED dos outros smartphones da Samsung. O resultado é muito bom, com pretos profundos e cores vivas. Como todo Windows Phone, no entanto, a resolução é limitada a 480 x 800 pixels. De qualquer forma, a tela não é muito grande, o que eleva a densidade de pixels e impede que os contornos das imagens percam definição.

Há, entretanto, uma desvantagem no uso do AMOLED, embora o Mango pareça ter sido inteiramente projetado com o intuito de utilizar essa tecnologia. Esse tipo de tela, em conjunto com o processador de clock alto, demandam muita energia e este fato tornou-se evidente nos nossos testes. O Omnia suportou 347 minutos de ligação com Wi-Fi e bluetooth ligados, uma marca apenas mediana.

Não se trata de um smartphone básico, mas este é um dos mais baratos entre os modelos com o Windows Phone 7.5. As principais diferenças para aparelhos de topo de linha são a tela e a memória interna menores. Apesar disso, a performance fica no mesmo nível. Só que, como Windows Phones não aceitam cartão de memória, a oferta de espaço para arquivos ganha mais importância.

Os smartphones com Windows Phone 7.5 são muito similares no que diz respeito ao system-on-a-chip. Para falar dos modelos que temos à nossa disposição, o HTC Ultimate, os dois Lumia e o Omnia aqui resenhado utilizam o mesmo Snapdragon S2. Ou seja, todos se valem de um núcleo de CPU que roda a uma frequência básica de 1,4 GHz. Tal convergência fala a favor do Omnia: se até aparelhos avançados como o Ultimate e o Lumia 800 estão utilizando esse chip, os eventuais donos do Omnia podem ter certeza que estão adquirindo um dos telefones mais poderosos do ecossistema Mango atual. Aliás, mesmo que estivéssemos falando de um Android, o Snapdragon S2 não deixaria de ser uma boa escolha de SoC para um celular intermediário como esse.

Dentro do “pacote” Snapdragon a GPU Adreno 205 opera ao lado da CPU. Trata-se de processador gráfico já um tanto ultrapassado, mas que mantém um desempenho sólido no cenário atual. Sem entrar em detalhes a respeito de seu funcionamento, a consequência mais visível dessa escolha de GPU está na codificação de vídeo. Telefones que utilizam a Adreno 205 só conseguem produzir e reproduzir vídeos de no 720p. Quem só assiste a filmes no notebook e no próprio celular não vai sentir falta do 1080p. Essa limitação só prejudica aqueles que gostam de centralizar tudo em uma TV Full HD ou em um notebook substituto de desktop.

De qualquer maneira, é difícil dizer se vídeos de resolução maior seriam viáveis no Omnia por um motivo simples: memória. Esse smartphone oferece apenas 8 GB de armazenamento interno. Como comentamos acima, a forma como o Windows Phone 7 gerencia a memória não admite cartões SD, o que elimina qualquer possibilidade de expansão. Sempre existem outras soluções de armazenamento para auxiliar aparelhos móveis: um storage acoplado à rede sem fio, por exemplo. Mas se você é o tipo que gosta de levar filmes consigo para assistir durante uma viagem, o Omnia não é o smartphone mais indicado.

Outra peculiaridade que dificulta a fruição de vídeos em Full HD é a ausência de uma conexão HDMI no telefone. Não que tal porta fosse esperada em um celular intermediário, seja qual for o ecossistema ao qual ele possa pertencer. O Omnia
se comunica com o mundo através do pacote básico dos smartphones: microUSB, P2, Wi-Fi, Bluetooth, A-GPS e, é claro, as redes de dados de celular. Todas essas portas são contidas por um corpo de design modesto que não oferece nenhuma proteção às conexões externas (P2 e USB). Um diferencial interessante para quem não consegue se decidir entre o Omnia e o Lumia 710 é a presença de um giroscópio no primeiro.

O Mango é um sistema proprietário, portanto não há muitas diferenças entre analisado nesta resenha e o que habita outros modelos do mesmo SO. O sistema mantém sua simplicidade e beleza marcantes, diferentes de tudo que foi lançado no mercado até agora. Constante também é a velocidade de resposta do sistema e de todos os aplicativos primários. No caso do Omnia, além de uma cor verde especial para os ícones, a Samsung instalou uma pequena coleção de aplicativos, incluindo um editor de imagem, um leitor de RSS e um serviço de meteorologia. O mais interessante deles é o AllShare, um servidor de DLNA que originalmente foi desenvolvido para os celulares Android da empresa.

Quanto às novidades do Windows Phone em si, a maior diz respeito a um serviço externo: o SkyDrive. Recentemente a Microsoft reformulou o SkyDrive para que ele se tornasse um storage online de funcionamento similar ao do DropBox. Como não existe aplicativo oficial do DropBox para Windows Phone (embora existam alternativas de boa qualidade), esse upgrade do SkyDrive é muito bem vindo. Para refrescar a memória, é bom lembrar que o player do Mango é capaz de tocar trilhas sonoras em MP3, WAV, WMA e eACC+, assim como é capaz de reproduzir vídeo em WMV, H.264 e H.263.

O Windows Phone é, por razões muito fortes, um sistema sedutor. Mas quem decide desbravar as terras ainda pouco exploradas desse SO deve estar ciente de algumas questões. Primeiro, o Mango ainda tem um ecossistema imaturo quando comparado ao iOS e ao Android. Segundo, o Windows Phone 8 não está muito longe de ser lançado. O novo sistema traz modificações profundas para a plataforma mobile da Microsoft e tudo indica que aparelhos com o Mango não se beneficiarão do update. Ainda assim, não há motivo para abandonar o barco: aplicativos desenvolvidos para Windows Phone 7 poderão rodar no Windows Phone 8, o que significa que o ecossistema de um não será prejudicado pela chegada do outro.

A câmera do Omnia tem a contagem mínima de pixels estabelecida pela Microsoft: 5 MP. A Samsung obviamente não priorizou essa faceta do telefone e o resultado são fotos e vídeos medíocres que dispensam grande parte dos detalhes da cena. Há aqui, no entanto, um item que pode resolver o dilema de quem não consegue decidir entre o Lumia 710 e o Omnia: uma câmera frontal. Trata-se de uma unidade extremamente simples de 0,3 MP, mas já é melhor do que nada.

Por fim, a tela de 3,7 polegadas usa o mesmo Super AMOLED dos outros smartphones da Samsung. O resultado é muito bom, com pretos profundos e cores vivas. Como todo Windows Phone, no entanto, a resolução é limitada a 480 x 800 pixels. De qualquer forma, a tela não é muito grande, o que eleva a densidade de pixels e impede que os contornos das imagens percam definição.

Há, entretanto, uma desvantagem no uso do AMOLED, embora o Mango pareça ter sido inteiramente projetado com o intuito de utilizar essa tecnologia. Esse tipo de tela, em conjunto com o processador de clock alto, demandam muita energia e este fato tornou-se evidente nos nossos testes. O Omnia suportou 347 minutos de ligação com Wi-Fi e bluetooth ligados, uma marca apenas mediana.

Via: Info 

Categorias
Tecnologia

RIM apresenta novo sistema BlackBerry 10

A Research in Motion (RIM) anunciou sua nova plataforma BlackBerry 10, voltada para dispositivos móveis como smartphones e tablets.

A empresa já disponibilizou aos desenvolvedores o kit de ferramentas para a criação de aplicativos.

Além disso, a RIM também apresentou um novo protótipo de hardware, o DevAlpha, rodando o sistema BlackBerry 10.

O aparelho possui tela touchscreen de 4,2 polegadas com resolução de 1280 x 768 pixels e uma saída HDMI. Traz também processador OMAP, mas a empresa afirmou que as configurações do dispositivo podem mudar até seu lançamento final.

Todos os desenvolvedores cadastrados no BlackBerry World irão ganhar um smartphone DevAlpha para criarem aplicativos para o novo sistema a partir da API fornecida pela RIM.

O kit também inclui ferramentas para desenvolver aplicativos em HTML5. O BlackBerry 10 WebWorks SDK fornecerá todas as ferramentas necessárias para a criação de aplicativos com funções nativas.

Desta forma, a RIM pretende inserir dois pilares dentro da plataforma: a com aplicações nativas e as que rodam em HTML5. E todos poderão de certa forma serem integrados com serviços oficiais da empresa como o BlackBerry Messenger (BBM).

Com o lançamento do kit para desenvolvedores, a RIM espera que os aplicativos estejam prontos ainda este ano e que os primeiros aparelhos com a nova plataforma cheguem ao mercado no segundo semestre de 2012.

Via Info

Categorias
Tecnologia

Empresa desenvolve capa que recupera, sozinha, pequenos riscos na tela

Feita com uma superfície PET umedecida, capa consegue se recuperar de arranhões automaticamente em até dez segundos

pequenos riscos na tela

As telas de smartphones estão cada vez maiores e, consequentemente, ganham mais riscos. Mas a empresa Toray promete mudar isso: ela criou uma tecnologia que faz com que a tela se recupere sozinha de arranhões, segundo o Hexus.

A novidade é aplicada a uma capa protetora para a tela dos dispositivos. Ela é feita com uma superfície de plástico PET umedecida que consegue se recuperar de pequenos riscos em até dez segundos.

O único problema até agora é que os pesquisadores que estão criando a tecnologia não conseguiram definir se a capa prejudica de alguma forma a sensibilidade das telas touch. Enquanto isso, a empresa procura possíveis parceiros para ajudar no desenvolvimento da capa protetora.

Via Olhar Digital