Categorias
Google

Olhar Digital testa o Google Glass

É uma sensação bem futurística e interessante”, segundo o repórter Cesar Schaeffer

Uma novidade digital vem mexendo com a imaginação de muita gente: o Google Glass. Nós tivemos o privilégio de experimentar a novidade. O gadget futurista que só deve chegar às lojas dos Estados Unidos no final do ano. Quem nos cedeu a oportunidade foi o publicitário Walter Longo, uma das pouquíssimas pessoas no Brasil a testar a versão “Explorer” do Google Glass. Por enquanto, foram colocadas à venda apenas duas mil unidades do dispositivo; para comprar uma delas era preciso se registrar e ser escolhido pelo Google…
“O nosso o objetivo é entender a usabilidade dele e passar a desenvolver aplicativos e interfaces que colaborem para que tenhamos o mesmo número de celulares como uma coisa comum”, opina Walter Longo, presidente / New Energy.

O “Google Glass” projeta uma pequena tela logo acima do campo de visão do usuário; ali, aplicativos podem mostrar mapas, músicas, previsão do tempo, rotas e até fazer chamadas de vídeo, tirar fotos e – ao mesmo tempo – compartilhar tudo através da internet. O dispositivo pode ser controlado tanto pela haste sensível ao toque quanto por comandos de voz.
O César, nosso repórter, foi quem teve a chance de experimentar o Google Glass.

“É uma sensação bem futurística e interessante. Ainda que só funcione em inglês por enquanto, é muito fácil interagir com os óculos. O reconhecimento de voz não falhou nenhuma vez; a haste sensível ao toque também é muito precisa. Mas o que surpreendeu foi a qualidade da telinha projetada; só usando mesmo para ter ideia. É até muito melhor do que aparece no vídeo de divulgação que eles lançaram algum tempo atrás”.

“Naquele momento eu falei: esse negócio é incômodo, esquisito, mas vai fazer história. É uma sensação de que é algo que ainda estranhamos, mas seguramente tem um futuro que vai impactar nossas vidas”, diz Walter Longo, presidente / New Energy.

O Google Glass tem conexão Wi-Fi, Bluetooth e pode usar o smartphone como ponto de conexão à internet – inclusive através da rede 3G. A lente de projeção não ocupa todo o campo de visão do usuário, mas tanto nosso repórter quanto o publicitário concordam que ainda é meio estranho ficar “olhando para o nada” enquanto conversa com um óculos…

“A coisa mais estranha é que, quando estou com ele, olho como se fosse um autista, com foco diferente da pessoa com quem estou falando. O olhar perdido no horizonte dá a sensação de que não estou prestando atenção em você, quando na verdade estou”, explica Walter Longo, presidente / New Energy.

Por enquanto, nessa fase inicial de testes, o dispositivo ainda traz poucos aplicativos. Mas a ideia de distribuir as primeiras unidades nas mãos certas é exatamente esta; que essas pessoas experimentem e pensem em aplicativos que podem realmente revolucionar o nosso dia a dia, assim como fez o telefone celular. Ideia é o que não falta: no hospital, por exemplo, usando o Glass o médico pode acompanhar os sinais vitais do paciente enquanto faz uma cirurgia. Na propaganda especificamente, o publicitário prevê muito uso da realidade aumentada.

“Eu vou pegar um produto, e ele vai reconhecê-lo e, com isso, passar a dar informações nutricionais e didáticas que ajudam na decisão de compra”, diz Longo.

Via: Olhar Digital 

Categorias
Tecnologia

Como relógios, óculos e pulseiras inteligentes vão mudar a sua vida

Saiba como os novos dispositivos serão recebidos pelo mercado

Muitas fabricantes estão apostando em dispositivos diferentes, como óculos e relógios inteligentes. Segundo estudo do BI Intelligence, a chamada tecnologia ‘usável’ deve passar de 14 milhões de dispositivos vendidos em 2011 para 171 milhões em 2016, chegando a 485 milhões em 2018.

A ideia, de acordo com a pesquisa, é que os novos produtos não complementem apenas os smartphones ou computadores, mas o corpo humano também. Os aparelhos deverão monitorar sinais vitais, analisar qualidade do sono e trabalhar a favor do organismo.

As pulseiras inteligentes, por exemplo, em sua grande maioria, focam na saúde e bem estar do usuário. O estudo aponta que, mesmo com a pequena adoção inicial, elas terão um grande espaço no mercado de tecnologias ‘usáveis’. A previsão é que braceletes para saúde sejam responsáveis por 60% do setor, número que pode crescer ainda mais quando a tendência se consolidar.

Já os relógios deverão substituir os smartphones em diversas atividades, uma vez que os recursos dos celulares serão adicionados aos dispositivos ‘usáveis’. A pesquisa indica que as pessoas irão recorrer cada vez menos a seus telefones com a chegada dos relógios. As grandes telas dos aparelhos darão lugar aos pequenos displays dos relógios.

Por fim, os óculos, que deverão inserir no cotidiano dos usuários recursos de realidade aumentada, serão os produtos mais ambiciosos do futuro. O estudo acredita que esta tecnologia irá se popularizar devido ao Google Glass, já que comerciantes se mostraram atraídos pela novidade.

O Olhar Digital preparou uma matéria que mostra cinco relógios inteligentes que chegaram ou chegarão no mercado, e um concorrente do Google Glass que está sendo comercializado na China. Também é possível conhecer alguns modelos de pulseiras inteligentes nos links abaixo:

Categorias
Google

Google exibe aplicativos para os óculos Glass

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Durante apresentação no festival South by Southwest (SXSW), o Google revelou os principais aplicativos desenvolvidos para seus óculos Glass.

Na apresentação o Google exibiu aplicações como do jornal The New York Times, Evernote, Skitch, Path, além do Gmail e Google+.

Quando for lançado, o Google Glass permitirá aos usuários utilizar dos comandos de voz para iniciar um serviço de e-mail, enviar uma imagem e até mesmo definir o campo “assunto” e o conteúdo da mensagem.

A aplicação do jornal NYT irá enviar artigos em formato de imagem. Ao acionar o Google Glass os óculos irão então ler o conteúdo noticioso para o usuário. Há também uma função em desenvolvimento para atualizar automaticamente as notícias principais.

Já os aplicativos Evernote e Skitch permitirão compartilhar imagens, e o Glass também exibirá atualizações da sua rede do Path, além da possibilidade de adicionar emoticons e comentários nas publicações de amigos.

Com lançamento previsto para o final deste ano, o Google começa a divulgar mais detalhes sobre o Glass. Recentemente a revista New Scientist afirmou que o dispositivo poderá identificar seus usuários pela roupa.

No final de fevereiro, o Google Glass teve seus pedidos de pré-venda ampliados e espera-se que o dispositivo seja lançado até o final deste ano pelo preço de 1.500 dólares.

Via: Info 

Categorias
Google

Google Glass aparece em semana de moda

Imagem Divulgação

Twitter lança página especial para semana de moda de NY

O Twitter apresentou uma página especial, com conteúdo relacionado à Semana de Moda de Nova York, que acontece até a próxima quinta-feira (13), na cidade americana.

Na página, além de mensagens e fotos publicadas diretamente do evento, também é possível encontrar uma lista de contas de blogueiros, estilistas, marcas, modelos, cabeleireiros e maquiadores para serem seguidos.

Para agregar todo o conteúdo da Nova York Fashion Week, os usuários estão utilizando a hashtag #nyfw.

Google Glass nas passarelas

Ontem, os novos óculos do Google fizeram sua estreia nas passarelas. A novidade aconteceu durante o desfile da marca Diane von Furstenberg’s. As modelos utilizaram os óculos do Google para gravar o desfile.

O cofundador do Google e responsável pelo projeto Glass, Sergey Brin, assistiu o desfile da primeira fila. Ele também usava os óculos. As imagens serão utilizadas para a montagem de um filme promocional.

Via: Info