Início » Internet » Web ficou 15% mais rápida no Brasil em 1 ano, diz Cisco

Web ficou 15% mais rápida no Brasil em 1 ano, diz Cisco

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

O número de conexões de internet em banda larga (fixa e móvel) no Brasil saltou de 21,7 milhões em 2011 para 25,8 milhões em 2012. O dado é da Cisco, que divulgou hoje a nova edição do Barômetro 2.0 – pesquisa que reúne informações sobre a internet banda larga no país no ano passado.

O estudo não inclui o uso de internet via smartphone, mas apenas as conexões por meio de modem 3G (chamadas de móveis) e aquelas realizadas através de outras tecnologias, como TV a cabo e xDSL (denominadas fixas). Segundo a Telebrasil (Associação Brasileira de Telecomunicações), o país soma hoje – entre acessos fixos, móveis e via smartphone – cerca de 96 milhões de conexões.

Além do crescimento no número de acessos, a pesquisa da Cisco aponta o aumento na velocidade das conexões. “Há uma migração bastante acentuada de usuários de banda larga de até 2 megabits por segundo para pacotes com velocidade superior a 2 megabits”, afirma Anderson André, diretor de operações da Cisco.

Segundo ele, a redução de impostos barateou a banda larga. Assim, muitas pessoas ampliaram suas velocidades de acesso mantendo os mesmos gastos. Isso se refletiu no aumento da velocidade média da rede no Brasil em 15% no ano passado, de 4,1 megabits por segundo em dezembro de 2011 para 4,7 um ano depois.

A popularização de aplicações que demandam uma conexão melhor também é apontada como razão da mudança de panorama. “Hoje, mais de 60% do uso de banda larga no Brasil envolvem aplicações que lidam com vídeo, como o Facebook e o Google”, exemplifica Anderson.

O estudo da Cisco traz também dados sobre a internet móvel no país. Em 2012, ela alcançou 6,7 milhões de conexões. Para os especialistas, a chegada do 4G não deve alterar muito a tendência de crescimento desse tipo de internet.

“O principal efeito do 4G é atender aos usuários pesados do 3G”, aposta Giuseppe Marrara, diretor de relações governamentais da Cisco. Outra previsão da empresa é de que o país atinja mais de 42 milhões de conexões (fixas e móveis) até 2017.

“Porém, se você não tiver políticas governamentais que estimulem o aumento da banda larga, os investimentos privados na ampliação da rede podem parar”, adverte Anderson.

Além disso, outro desafio é a realização de grandes eventos no país nos próximos anos. Para Anderson, a saída é investir em pontos de Wi-Fi, que serviriam para desafogar as redes 3G e 4G. Hoje, o Brasil conta com menos de 0,7% dos hotspots de Wi-Fi no mundo.

Via: Info 

PUBLICIDADE

Compartilhe...

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Afraneo Galan

Afraneo Galan

Fundador da Lemonblue, atua com internet e marketing digital há mais de 15 anos. Formado em Comunicação Digital, já trabalhou com grandes clientes e portais de conteúdo como G1, Globo.com, Claro, MTV e Oi FM.
PUBLICIDADE

Buscar notícia

PUBLICIDADE