Como será a propaganda em 2062?

Como será a propaganda em 2062?

A revista Stratégies convidou jovens criativos de diferentes países do mundo para criarem peças futurísticas para exposição “2062, back and forth to the future”, da galeria de arte La Gaîte Lyrique, em Paris (veja).

Raphael Franzini, criativo na Loducca, foi o único brasileiro que recebeu o convite para participar, sendo que o objetivo principal era criar um anúncio de comida imaginando estar no ano de 2062. Além de Franzini, há presença de criativos da DDB Paris, W+K Amsterdam e Muir Howard, da Inglaterra.

Para criar a sua peça fictícia, Franzini supôs que no futuro, microchips embutidos no corpo humano e telas instaladas abaixo da pele serão uma realidade. Assim, celulares como o “iSkin” podem ser usados na mão do usuário e serão capazes de medir em tempo real pressão sanguínea, colesterol, glicemia etc. A partir desta tecnologia, o criativo desenvolveu o aplicativo fictício “Subway My Way”, para a rede de fast food Subway, que usa os dados de nossa saúde para oferecer um sanduíche sob medida para a necessidade naquele momento. Além disso, com apenas um estalo de dedos, pode-se fazer um pedido de delivery que será entregue onde o usuário estiver, mesmo que esteja em movimento.

A mostra conta também com trabalhos de artistas, pensadores, arquitetos e engenheiros que desenvolveram, cada um em sua área de atuação, exposições, peças de teatro, concertos e exibições de vídeos. Todas essas “viagens ao futuro” ficarão na galeria francesa até 25 de março.

Fonte: Adnews

Deixe sua dúvida ou comentário

Isso pode te interessar