Ingrediente fundamental para o sucesso de qualquer e-commerce, o giro de estoque impacta de diversas formas a saúde financeira de uma loja virtual. Um produto parado consome espaço físico do lojista, retém capital, bloqueia a compra de novas coleções, entre outros prejuízos diversos.

A premissa é simples: quanto menor o estoque menos capital estagnado a empresa terá, contudo, nunca devem faltar produtos para a venda. “Empresas que conseguem girar o estoque ao menos duas vezes ao mês (turn de 15 dias), conseguem comprar e vender o produto sem ao menos ter pago ao fornecedor. Resumindo, trabalha com o ‘dinheiro’ do fornecedor. Este é o melhor dos mundos”, revela Rodrigo Schiavini, Diretor de Negócios da FBITS, empresa especializada em soluções em e-commerce.

Dentre os entraves que atrapalham a venda de um produto, culminando no seu encalhamento, Rodrigo elenca cinco, como principais:

Demora no lançamento

Muitos e-commerces, seja por falhas estruturais ou problemas com forneced

Imagem Divulgação

Imagem Divulgação

ores, atrasam a entrada de um produto na loja virtual. Em algumas categorias de produtos, esse atraso pode ser completamente desastroso: “Vivi um exemplo disso na última copa do mundo. Na ocasião, o varejista demorou para comprar a camisa da seleção brasileira e, com isso, atrasou o lançamento dela em sua loja virtual. Assim que a lançou, iniciou as vendas, porém já na semana seguinte o Brasil perdeu para Holanda e foi desclassificado. As camisas ficaram encalhadas no estoque e vários meses depois faziam promoções, chegando a dar de brinde para poder acabar com o estoque”, relata o diretor, ao E-Commerce News.

Informações precárias

Schiavini explica que não é mera coincidência os produtos que encalham com mais frequência serem aqueles que possuem um déficit de informação em sua descrição: “O varejista deve fornecer o máximo de informações sobre o produto, pois é fundamental para quem compra”, completa.

Imagens de baixa qualidade

Outro erro recorrente por parte dos empreendedores de e-commerce é a qualidade das imagens dos próprios produtos, gerando itens com fotos distorcidas, em baixa resolução ou, até mesmo, sem foto. “Para quem compra, a imagem pode ser o diferencial para a decisão final”, enfatiza o executivo. Ou seja, vale a pena investir em fotos de alta qualidade.

Preço

No varejo online, a briga por preço é muito comum. Ter o preço compatível com a concorrência faz com que o varejista tenha, pelo menos, condições de brigar por outros aspectos, como diferenciais em serviço, parcelamentos, frete grátis e etc. “Descuidar deste aspecto é no mínimo, parar de vender. Com o preço mais caro do que as demais lojas virtuais, não haverá diferencial que lhe garanta venda”, destaca Rodrigo.

Prazo

Quinto erro comum: muitos lojistas alongam o prazo, buscando evitar chamadas no SAC e/ou reclamações por parte dos clientes. Porém, esse tipo de comportamento pode gerar um impeditivo nas vendas, por parte dos clientes. “Se o cliente não está confortável com o prazo de entrega, nem ao menos vai fechar o pedido! Ter um prazo justo (quantidade de dias corretos e atraente) te coloca no jogo novamente. Às vezes, um atraso ou outro é, no mínimo, insumo para que sua loja possa trabalhar e melhorar a operação, deixando-a mais eficiente”, explica Rodrigo.

Apesar de ser melhor prevenir do que remediar, Schiavini finaliza com duas soluções eficazes para produtos que já estão encalhados no estoque do varejista: “Fazer grandes liquidações, reduzindo o preço e fazendo com que o estoque seja renovado. Também é bastante comum dar de brinde na compra de outro produto que também tem baixo giro. Exemplo, se tenho um capacete de bicicleta que está encalhado, eu posso fazer uma promoção junto com uma bike que ao invés de desconto, o cliente que comprar a bike ganhará o capacete de brinde”, conclui o executivo

Via: E-commerce News