aniversario_incubadora.jpg

Evento da Raitec também foi palco da assinatura de dois acordos de cooperação

A Incubadora de Guarulhos, que faz parte da Raitec – Rede de Apoio à Inovação Tecnológica em Empreendimentos de Criação – recebeu representantes de agências de fomento, empresários, investidores e jornalistas em um Café Tecnológico no último dia 31 de outubro, no Teatro Adamastor, em Guarulhos.

Durante o evento, foram assinados dois acordos de cooperação, um entre a incubadora e a Embrapa, e outro com o Instituto Mauá de Tecnologia. Na abertura, Sérgio W. Risola, gestor do Cietec, incubadora âncora da Raitec, explicou o que é um Café Tecnológico e contou que ele serve para aproximar as empresas dos investidores, das agências de fomento e da mídia. Ele também frisou que “o movimento de incubadoras no Brasil só cresce se elas forem bem administradas, como é o caso da Incubadora de Guarulhos”.

Emocionado, o gestor da Incubadora de Guarulhos, Nilson Cruz Júnior, agradeceu ao gestor do Cietec pelo apoio recebido e disse que ele serve de modelo para os demais gestores, que coordena o Cietec, maior incubadora da América Latina, com 125 empresas. Ele também agradeceu a todos os presentes e, sobretudo, àqueles que acreditaram na proposta da incubadora, mesmo no início difícil que ela teve. Em seguida, Cruz apresentou indicadores da cidade e da incubadora de Guarulhos: a cidade possui 2.700 indústrias e corresponde ao 9º PIB do Brasil. A incubadora atendeu 26 empresas, sendo 25 de base tecnológica, e tornou-se uma das cinco maiores do Estado. O ponto alto do balanço foi o faturamento, que subiu 315% entre 2006 e 2007. Foram apresentados ainda os objetivos para o próximo ano, que incluem a criação de um Fórum Permanente de Empreendedorismo e Tecnologia, a Sala do Empreendedor – com prestação de serviços empresariais, a ampliação do espaço físico da incubadora, e chegar à marca de 30 empresas incubadas (o que deve acontecer já neste ano). Para o presidente do Conselho Gestor e representante da Agência de Desenvolvimento de Guarulhos, Antônio Roberto Marchiori, “assim como a cidade, a Incubadora de Guarulhos vem crescendo a passos firmes”. Além disso, ele comentou sobre a importância de haver um espaço para que as empresas sejam criadas e regulamentadas, contribuindo para reduzir a informalidade.

Com relação ao acordo de cooperação entre a incubadora e o Instituto Mauá de Tecnologia, o representante do Instituto, Paulo Sergio Colli Bogus, declarou que a parceria irá beneficiar ambas as partes. “Estejam certos de que os professores e engenheiros da Mauá darão todo o apoio às empresas de Guarulhos”, completou. Já o presidente da Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) professor Guilherme Ari Plonski apontou os três aspectos positivos de uma incubadora: empreendedorismo, inovação e cooperação. O representante da Embrapa, José Manuel Cabral de Souza Dias afirmou que o maior desafio da entidade é mudar o paradigma de uma agricultura familiar de subsistência para uma visão empreendedora e com impacto efetivo na competição do agronegócio. Ainda foram apresentados alguns cases de empresas incubadas, como o da Sociedade do Sol e TLC Válvulas.

Ao final, o gestor da Incubadora de Guarulhos reafirmou o compromisso de retribuir o apoio recebido com muito trabalho, ética, perseverança e resultados. O próximo Café Tecnológico também já foi anunciado e deve ocorrer em março do ano que vem, na cidade de Santos.

Sobre a Raitec
Fazem parte da Raitec o Centro Incubador de Empresas Tecnológicas (Cietec), que é a incubadora âncora, a Incubadora de Empresas de Guarulhos, a Incubadora de Empresas Barão de Mauá (IEBM), a Incubadora Aceleradora de Empreendimentos (ITS), a In Nova Incubadora Tecnológica e Educacional de Santo André, a EsalqTec, a Incubadora de Empresas de Santos (IES), a Incubadora Tecnológica de Empresas de Sorocaba (Intes), a Incubadora de São Bernardo do Campo (IESBeC) e a Incubadora Tecnológica de Mogi das Cruzes (Intec). Ao todo, 247 empresas fazem parte do grupo.