Categorias
Google

Pesquisas no Google feitas por aparelhos móveis superam as de desktop

Celular é a nova realidade. Pesquisas em aparelhos móveis superam as de desktop.

Em uma conferência sobre campanhas digitais realizada nesta terça-feira (5), o Google anunciou que o número de pesquisas feitas em sua ferramenta de busca através de dispositivos móveis finalmente superou o das que feitas através de PCs. Segundo Jerry Dischler, um dos executivos da empresa, essa virada aconteceu em pelo menos 10 dos principais mercados do mundo, incluindo EUA e Japão. Dischler não citou outros países e também não mencionou quando essa mudança ocorreu. Enfim, as pesquisas em aparelhos móveis superam as de desktop.

Além do marco histórico, a mudança pode significar alterações importantes nos direcionamentos do gigante das buscas. As propagandas posicionadas ao lado dos resultados das pesquisas através de browsers de desktop são consideradas como os anúncios mais lucrativos do marketing digital. Mesmo assim, o preço por esses anúncios tem caído seguidamente ao longo dos anos.

Uma das causas apontadas pelos especialistas para essa queda de preço é justamente a ascensão do uso de aparelhos móveis para realizar as pesquisas no buscador, e que os anúncios dos dispositivos móveis não rendem as mesmas taxas dos realizados nos PCs.

As mudanças do Google

De qualquer forma, o chefe de finanças do Google, Patrick Pichette, disse que a empresa está vivenciando um fortalecimento de seus recursos de busca mobile, e que o preço por cliques em seu sistema de pesquisas continua crescendo dia após dia. Segundo Pichette, a queda de rendimentos com anúncios pela qual a empresa passa (e que foi confirmada na receita do primeiro trimeste de 2015, divulgada recentemente) deve-se às propagandas no YouTube.

Mesmo assim, o Google está tomando medidas para melhorar seus anúncios na área mobile. Durante a conferência desta terça-feira, o gigante das buscas apresentou algumas novas ideias para melhorar sua propagandas nos smartphones, tablets e afins, exibindo anúncios mais amigáveis a essas plataformas mobile, incluindo um uso maior de imagens e sensibilidade a comandos, como passadas de dedo.

Outro plano do Google para manter esse crescimento em suas buscas feitas através de smartphones e tablets é a manutenção do acordo com a Apple, que torna o gigante das buscas a ferramenta oficial do Safari no iPhone, e que está prestes a expirar.

Vale notar que não depende apenas do Google melhorar sua presença nas buscas feitas via gadgets, uma vez que muitos usuários utilizam aplicativos de buscas mais específicos, dependendo do que desejam — ou seja, pesquisam sobre restaurantes em apps de comida, sobre baladas em aplicativos para festas, e assim por diante — eliminando o intermediário Google.

Via Canaltech

Categorias
Redes Sociais

Twitter é a rede social mais acessada no trabalho, de acordo com pesquisa

Imagem Divulgação

Estudo sobre hábitos dos internautas também descobriu que o Facebook é mais acessado de casa e o Orkut a partir de lan houses

A E.life, empresa de gestão de redes sociais, realizou um estudo sobre os hábitos e comportamentos dos internautas brasileiros nas mídias sociais, com o objetivo de mostrar como os usuários avaliam e utilizam as redes que acessam. No total, foram 1316 entrevistados no período de novembro de 2011 a fevereiro de 2012.

O resultado revelou, entre outros dados, que 28,3% dos entrevistados dedicam 40 horas ou mais à internet por semana, o que significa quase 6 horas por dia. Também foram identificadas as redes mais usadas pelos brasileiros: Facebook, com 88,9%; o Twitter, com 41%; o MSN, com 34,3%; o Orkut, com 31,7% e o YouTube, com 21,7%.

Quando questionados sobre que atividades praticam na internet, 84,8% disseram que utilizam seu tempo online para acessar as redes sociais e ter conversas virtuais em tempo real. De acordo com 43,1% dos usuários, o principal objetivo deles nas redes, é manter contato com amigos, colegas e parentes.

Também são hábitos comuns dos internautas obter informações de interesse; ler notícias; conhecer pessoas; acessar dados sobre lazer e entretenimento; divulgar conteúdo próprio; pesquisar sobre empresas, produtos e serviços; além de jogos online e fins profissionais.

Perfis

A pesquisa descobriu que existem distinções entre os tipos de usuários das principais redes sociais mais utilizadas, o que resultou em dados curiosos.

No Facebook, a maioria dos usuários acessam a rede de casa (92%) e do desktop (70,2%). Já o Twitter é a rede mais acessada no trabalho (49%), enquanto o Orkut é a plataforma menos acessada via smartphone e notebooks, mas é o site mais visto em lan houses. Por fim, o YouTube é a segunda rede mais acessada no trabalho (40,2%), porém, o uso nas escolas e faculdades é baixo (24,5%).

Se você ficou curioso para ver o estudo completo, clique aqui

Via: Olhar Digital