Categorias
Notícias

Facebook e Instagram fora do ar

Redes Sociais apresentam problema nesta manhã

O Facebook e o Instagram estão apresentando problemas de lentidão e aparecem fora do ar para muitas pessoas.

Ao tentar acessar o Facebook aparece a seguinte mensagem:

O mesmo acontece com o Instagram.

O site DownDetector, que acompanha o desempenho de dezenas de serviços online, tanto o Facebook quanto o Instagram apresentam um aumento repentino de reclamações.

Categorias
Promova Seu Site

6 dicas rápidas para divulgar o seu site

Confira essas 6 dicas rápidas que separamos para ajudar você a divulgar o seu site.

1 – Mostre o seu site

As pessoas antes de comprar um produto ou contratar um serviço procuram a sua empresa na internet, por isso facilite a vida dos seus possíveis clientes. Coloque o link do seu site nos seus matérias impressos como cartão de visita (no seu carão é imprescindível), na fachada da loja, em um folheto, anuncio em revista ou jornal. Toda comunicação complementa a outra.

2 – Cadastre em guias online

Existem diversos guias na internet da sua cidade ou bairro. Esses guias são interessantes pois aparecem sempre nas primeiras pesquisas do Google, portanto aproveite o anuncio gratuito (ou pago) destes sites e cadastre a sua empresa.

3 – Integração com as redes sociais

Sua empresa já tem Facebook? O Facebook não exclui o site e o site não excluir o Facebook. Eles são ferramentas complementares de divulgação. O Facebook é usado para se relacionar com as pessoas e com seus clientes. Já o site é a representação do seu negócio, tem todas as informações relevantes e passa profissionalismo. Inclua o seu site em todas as suas redes sociais (facebook, twitter, instagram, youtube etc), e não deixe de colocar as duas redes sociais no seu site também.

4 – Assinatura de e-mail

Você manda diversos emails por dia para clientes, possíveis clientes, fornecedores e parceiros. Coloque em sua assinatura de e-mail o link do seu site, assim toda vez que você mandar um e-mail estará divulgando a sua empresa.

5 – Email marketing

Comece pelo básico.
Envie emails sobre o seu serviço/produto ou promoção para a sua lista de clientes.
Mas lembre-se, você deve enviar e-mail apenas para pessoas que autorizaram o recebimento, desta forma você terá mais chance de vendas, pois as pessoas conhecem o seu trabalho. Além do mais, a prática de spam é proibida e não compensa para você e nem para quem receber.

6 – Sites de perguntas e respostas

Existem vários sites de perguntas e respostas como o Yahoo respostas onde existem pessoas com diversas dúvidas. Entre nesses fóruns e responda as perguntas nas quais você tem conhecimento e são pertinentes ao seu negócio e sempre insira o link do seu site. Assim você ajuda as pessoas e ainda divulga o seu trabalho. 

Dicas Extras

Dica Extra 1:

Lembre-se que o conteúdo do seu site deve estar bem escrito, com fácil entendimento. Suas fotos devem estar com ótima qualidade, e nada de deixar o seu site com muitas cores, isso pode atrapalhar a leitura e o entendimento.

Dica Extra 2:

Os sites que são adaptados para celular e tabletes tem mais chances de visitas, pois 60% das pesquisas na internet já vem de dispositivos móveis. Se você tem um site no ME Online não se preocupe, o seu site já está adaptado para receber essas visitas.

Aproveite, crie seu site no ME Online e tenha um site profissional.


Quer criar um site? Comece agora!

[contact-form-7 id=”319″ title=”Crie um site”]


Criar site com domínio Grátis

Categorias
Facebook

10 truques para deixar o Facebook mais bacana

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Existem alguns truques espalhados pelo Facebook que poderiam tonar a experiência dos usuários mais bacana. Nem todos esses recursos estão escondidos, mas podem não ter sido notados, então segue uma lista com dez deles:

Lista de interesses

No quesito produtividade, uma das grandes funcionalidades do Facebook. Com isso você pode criar listas co páginas ou pessoas que te interessem. Por exemplo: uma chamada “notícias” em que constam páginas de sites como o Olhar Digital; ou outra “acompanhar” com pessoas que você queira seguir de perto.

Basta clicar aqui para criar uma lista. Ela pode ser pública ou privada.

Ver o histórico de amizade

Veja as interações entre você e um amigo clicando na aba “ver amizade” que fica abaixo da foto de capa de cada pessoa. Ali aparecem postagens, fotos, eventos, entre outras coisas. E, caso você esteja em um relacionamento com alguém, clique aqui para ver a página do casal.

“Outras” mensagens

Pode haver um monte de mensagens não lidas no seu Facebook, porque tudo o que a rede social julga como não tão interessante vai para a pasta “Outros”. Ela fica aqui, guardando conversas talvez nunca respondidas.

Veja fotos do jeito antigo

Nem todo mundo gostou da visualização de fotos e vídeos em formato pop-up do Facebook, mas você pode voltar ao modo antigo apenas recarregando a página da foto/vídeo. Também dá para fazer isso abrindo a foto/vídeo em uma nova aba do navegador.

Não seja surpreendido com a marcação de fotos

Ao invés de deixar que qualquer um te marque em uma foto, o que por vezes causa constrangimento, você pode escolher aprovar todas as marcações. Para fazer isso, clique aquie deixe a opção “Analisar marcações que as pessoas adicionam às suas publicações antes de serem exibidas no Facebook?” ativada.

Altere o idioma para algo mais divertido

Há bastante tempo o Facebook incluiu a opção “inglês de piratas” entre os idiomas, e também há o “upside down” que deixa tudo escrito da direita para a esquerda e o “Leet Speak”, uma espécie linguagem de internet. Mas atenção: pode ser bem complicado entender o que está escrito. Se quiser mudar, vá aqui e divirta-se.

Baixe seus dados

Também nesta página você encontrará um link para baixar todas as informações sobre si próprio que estão armazenadas na rede social. Ele fica abaixo da opção de idioma, escrito em azul.

Registro de atividades

Tudo o que você faz no Facebook fica guardado. Pelo registro de atividades dá para ver o que foi curtido, os comentários feitos e recebidos, fotos marcadas, grupos que você entrou, eventos… tudo. O recurso fica abaixo de sua foto de capa, do lado direito.

Envie mensagem privada pelo e-mail

Todo usuário do Facebook possui um e-mail na rede social, isso significa que é possível receber mensagens de Gmail, Hotmail, Yahoo etc. lá dentro. Se quiser enviar uma mensagem assim, basta colocar o nome de usuário do destinatário seguido por @facebook.com e enviar da sua conta tradicional.

Desligue notificações móveis

Não quer mais receber notificações no celular ou tablet sobre qualquer coisa que ocorre no Facebook? Siga estes passos: pelo app do aparelho, visite Configurações da conta > Notificações > Push de celular. Então é só desmarcar o que incomoda.

Via: Olhar Digital 

Categorias
Promova Seu Site

Porque sua empresa deve ter uma página no Facebook (fan page)

Que o Facebook é a maior rede social do mundo já não é mais novidade para ninguém, mas será que minha empresa precisa estar no Facebook?

A resposta é SIM. Mesmo que você não queira ou não tenha tempo, é importante manter seu negócio conectado com as redes sociais, isso faz com que o cliente que encontrou sua empresa na internet tenha mais segurança na hora de comprar seus produtos/serviços.

Hoje virou quase um hábito de o brasileiro consultar a internet antes de sair para as compras, portanto, não fique atrás do seu concorrente, tenha uma fanpage, mas não se esqueça de atualizá-la ao menos 2 vezes por semana.

Porque eu tenho que ter uma FanPage?

No ME Online você pode criar um site para sua empresa com todas as informações detalhadas sobre o seu negócio. O Facebook, além de divulgar a sua empresa, você pode manter um contato mais próximo com o seu cliente, e direcioná-lo para o seu site.

No Facebook você pode:

  • Fazer promoções exclusivas para os seus fãs;
  • Saber quem são os clientes que mais interagem com sua marca;
  • Se aproximar dos seus clientes;

Mas como eu crio uma FanPage?

Basta acessar o link: www.facebook.com/pages/create/, selecionar a primeira opção (Negócios Locais), escolher uma categoria, informar o nome da sua empresa, o endereço, o telefone e clicar em “Começar”. Simples Assim!

Bons Negócios 🙂

Categorias
Facebook

Facebook muda busca social. Saiba como proteger sua privacidade

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

O Facebook está ampliando as funcionalidades do Graph Search, sua ferramenta de busca social, para permitir também a pesquisa por posts, filtrados por assuntos ou locais onde foram postados. Isso também abre questões sérias de privacidade, já que qualquer pessoa pode descobrir um post seu sobre qualquer assunto, desde que ele seja público.

Em resumo, se você postou algo sobre “Breaking Bad” no seu mural, qualquer pessoa pode encontrar sua postagem procurando por “Posts about Breaking Bad” no Graph Search. Por isso, é bom limitar o alcance de suas publicações na sua timeline, tanto das feitas no passado quanto as que você ainda irá fazer. Se você ainda não sabe como fazer, isso, basta seguir o passo a passo abaixo.

Para limitar todos os seus posts de agora em diante, você deve acessar o atalho privacidade, no canto superior direito da interface do Facebook. Em seguida, pressione Ver mais configurações. Em Quem pode ver suas publicações futuras?, clique em Editar e escolha qual o nível de proximidade que a pessoa deve ter para acessar seus posts.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Em seguida, você pode limitar suas publicações do passado, para que tudo que você postou em sua vida no Facebook não seja encontrado pelo Graph Search. Na tela de configurações de privacidade, acesse Limitar publicações anteriores. Basta concordar e pressionar Limitar publicações passadas para confirmar.

Você tem quatro opções de privacidade em relação às suas postagens: limitá-las apenas para você, para amigos, para amigos de amigos, ou não limitá-las e abri-las para o público.

Para isso, acesse o atalho privacidade, no canto superior direito da interface do Facebook. Em seguida, pressione Ver mais configurações. Então, pressione Limitar publicações anteriores

Via: Olhar Digital

Categorias
Facebook

Facebook libera promoções sem uso de aplicativos

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

O Facebook deu uma boa notícia para os administradores de páginas: a partir de agora, não é mais necessário usar aplicativos para fazer promoções e sorteios dentro da rede social.

Com a decisão, passa a ser permitido contar curtidas e comentários em postagens como entradas em promoções, assim como mensagens e curtidas na página.

Continua sendo proibido usar perfis pessoais para gerenciar ações, assim como pedir aos usuários que se marquem em imagens para ganhar alguma coisa.

Via: Olhar Digital 

Categorias
Facebook

Saiba o que o Facebook e o LinkedIn têm em comum

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

O que grandes marcas da internet, como Facebook e LinkedIn, têm em comum? Além de serem serviços inovadores, ambas as empresas surgiram como startups e usaram a tecnologia de computação em nuvem para alavancar seus produtos durante os primeiros anos de operação.

A avaliação é do professor de economia José Eduardo Martins, da PUC do Rio de Janeiro, e autor do estudo A Inovação Que Foi para a Nuvem, publicado pela PUC do Rio. De acordo com Martins, durante muitos anos, empreendedores de diversas áreas estiveram impedidos de crescer rapidamente em função dos altos custos de TI.

“Para dar um passo grande, como ampliar a capacidade de atendimento ou expandir as operações para novos mercados, os empreendedores tinham que arcar com elevados investimentos em servidores, conexão e infraestrutura de TI, o que inibia o surgimento de muitas empresas criativas”, afirma Martins.

Há menos de uma década, a disseminação dos serviços de cloud permitiu uma ruptura nos custos de TI e tornou acessível a qualquer pessoa contratar storage e capacidade computacional de um data center terceirizado.

“Uma startup que deseje colocar no ar um serviço de e-commerce ou um cadastro de clientes não precisa mais comprar um servidor, mas apenas alugar um pouco desse serviço em um fornecedor de infraestrutura de nuvem”, afirma Martins. Foi essa receita que permitiu a Mark Zuckerberg fazer o Facebook crescer nos primeiros meses após a criação do serviço, quando ainda não havia investidores dispostos a colocar seus dólares na rede social.

Escalabilidade – Uma das expressões mais usadas por especialistas em nuvem é a escalabilidade, característica que permite contratar mais ou menos demanda computacional dependendo da necessidade do usuário. Assim, se uma pequena startup registrar um boom no ritmo de crescimento de seus clientes, poderá, de um dia para outro, contratar mais servidores e ampliar sua capacidade de atendimento de alguns poucos clientes para milhões deles. Da mesma forma, se enfrentar uma crise, poderá reduzir seus custos abrindo mão da capacidade de computação ociosa. “É como energia elétrica. Os cabos de luz estão conectados à nossa casa, mas pagamos só o que consumimos”, diz Martins.

Um caso exemplar de uso da escalabilidade são os sites de comércio eletrônico, que registram um pico de acessos em épocas de compras, como a semana que antecede o Natal ou o período do Dia das Mães. De acordo com Nelson dos Santos Pereira, professor de engenharia da computação da Unicamp, um site pode contratar banda para suportar, por exemplo, o acesso de até 1 000 usuários simultâneos durante o ano todo e, apenas na semana do Natal, contratar uma capacidade maior. “A flexibilidade, a agilidade e os custos da nuvem tornaram possíveis milhares de novos modelos de negócios que, em outros tempos, seriam inviáveis em função dos investimentos elevados de TI”, afirma Pereira.

Segundo o pesquisador, a flexibilidade da nuvem beneficia tanto a pequena startup quanto as grandes corporações, como é o caso do jornal New York Times. Há um ano, a publicação decidiu padronizar a versão digital de todas as suas edições, de 1851 a 1989, e, em vez de adquirir novos hardwares ou usar seus recursos computacionais já sobrecarregados, o jornal transferiu os arquivos em formatos variados para um fornecedor de serviços em nuvem. O processamento de 3 terabytes de informação levou 24 horas, usando cem instâncias (servidores virtuais) e custou 240 dólares. “Se não existisse um serviço de cloud disponível, essa tarefa demoraria vários meses para ser executada, além de exigir que o NY Times comprasse ou alugasse dezenas de servidores”, afirma o engenheiro da Unicamp.

Via: Info

Categorias
Internet

Acerte ao divulgar sua empresa no Facebook

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Erros das pequenas empresas ao divulgar sua empresa no Facebook

Segundo dados do SocialBakers, o Brasil é hoje o segundo país com mais usuários no Facebook.

Todos os meses quase 65 milhões de brasileiros passam 8 horas por mês navegando nas timelines e perfis da rede social, de acordo com uma pesquisa da comScore.

A maior parte das pequenas empresas já percebeu a vantagem de estar na rede e mostrar sua marca. “O objetivo é construir um relacionamento”, explica Tiago Luz, presidente da agência underDOGS.

Para isso, é preciso seguir algumas regras que podem ajudar a melhorar a imagem do seu negócio e atrair novos clientes. “O seu conteúdo tem que ser relevante para o consumidor”, diz Paulo Schiavon, diretor de planejamento e mídia da Agência Enken.

Sua atuação na rede, no entanto, precisa ser planejada e ter procedimentos para trazer resultados. “A rede social faz parte do portfólio de comunicação da empresa, mas precisa ter uma linguagem específica para o meio, respeitando os anseios das pessoas que estão ali”, ensina Gustavo Chapchap, coordenador de comunicação e marketing da Associação Paulista das Agências Digitais (APADi).

Veja sete erros fatais que seu negócio deve evitar no Facebook.

Não planejar

Segundo os especialistas, o primeiro erro é entrar nas redes sociais sem o mínimo planejamento. “Em uma empresa com estrutura menor, a tendência é alguém de dentro fazer e não conseguir colocar as informação de forma precisa, nem definir uma linguagem adequada”, afirma Chapchap.

Faça um planejamento do que espera da rede, como pretende atuar e como vai responder reclamações.

Confundir perfil com página

Um erro bastante comum entre as pequenas empresas é criar um perfil e não uma página para a empresa. A diferença básica é que os perfis são voltados para pessoas e as páginas têm características especiais para negócios. “Muitas empresas quando entram no Facebook criam perfis, que têm limitações de aplicativos e seguidores”, diz Celso Fortes, diretor de criação da agência digital Novos Elementos.

Para fazer sua página, há um passo a passo dado pelo próprio site que ajuda a aproveitar melhor as funcionalidades. Você precisa escolher uma categoria e um nome, além de inserir o logotipo ou outra imagem como foto principal. É nesta etapa também que o empresário inclui suas informações de contato. Existem inclusive cursos sobre Facebook marketing para que você possa fazer isso de forma realmente profissional.

Confundir a atuação pessoal com a corporativa

Facebook marketing é coisa séria, diz o consultor Alberto Valle da equipe do Curso de E-commerce. “Muitas vezes as empresas colocam gente despreparada para atuar nas mídias sociais e o resultado é uma verdadeira catástrofe para a marca.” afirma o consultor.

A gestão de mídias sociais requer técnica e por vezes muita paciência. Gerir um perfil pessoal é uma coisa, mas a gestão de uma página empresarial é outra completamente diferente. Uma página requer uma postura muito mais profissional que um perfil pessoal.

Só anunciar promoções

Um ponto crucial na atuação no Facebook é conteúdo. Para criar um relacionamento, os especialistas concordam que informação relevante é essencial. “Conteúdo tem que ser relevante para o consumidor. Foto ou vídeo geram mais empatia. Se for lúdico, rendem mais likes e compartilhamentos”, diz Schiavon.

É preciso fugir da tentação de só postar promoções ou produtos. “Para cada 5 posts de conteúdo, você faz 1 do produto”, ensina Luz.

A ideia é sempre sugerir e dar dicas, mas sem ser cansativo. “Não pode simplesmente falar do produto, mas de assuntos e temas que envolvam o consumidor, para trazer novos usuários”, explica Schiavon, que sugere uma média de quatro posts por dia. Para Fortes, isso evita uma grande taxa de rejeição, que jogaria todo o trabalho fora.

Não se preocupar com a aparência

Apesar do modelo padrão de página, o Facebook permite personalizações, como a foto de capa, que fica no topo. “Falta de padrão visual é um erro. Procure manter a identidade visual de sua página igual ao do website da sua empresa”, ensina Fortes.

Outra dica é usar estas ferramentas para incentivar a participação do usuário. “Um exemplo que a gente costuma dar de positivo é colocar o usuário participando da sua cover”, diz Luz.

Não responder rapidamente

Como um canal de comunicação com a empresa, o Facebook se torna inevitavelmente um local de comentários e reclamações. A diferença entre a rede social e um SAC é o tempo de resposta esperado pelo cliente.

“Tem que ser bastante rápido na solução de problemas, porque rapidamente uma mensagem mal respondida pode se espalhar. O imediatismo na resposta, pelo menos com um posicionamento inicial, é importante”, afirma Schiavon.

Desrespeitar os clientes

A maior parte dos empresários não ofenderia pessoalmente um cliente porque ele reclamou de um produto. O mesmo deveria valer para a internet.

Tudo nas redes sociais se multiplica com muita velocidade e algumas empresas já puderam sentir a reação dos usuários quando destratam ou ofendem um consumidor. “Não discuta com o usuário e lembre que ele tem sempre razão”, ensina Luz.

O melhor procedimento para o caso de reclamações na página é pedir desculpas pelo erro, propor uma solução e esclarecer publicamente o que aconteceu. Não delete a mensagem ou tente discutir o assunto na própria página.

Abandonar a página

Outro problema é criar a página e deixá-la desatualizada. “Se tem presença na rede, deve mantê-la ativa e viva. Muitas empresas simplesmente criam o canal com a configuração inicial e depois abandonam. Para manter esse canal eficiente, é importante desenvolver conteúdo e promoção”, conta Schiavon.

Além disso, há o risco de não responder as reclamações e isso dar a impressão de que a empresa não dá importância aos clientes. “É melhor não ter se não está preparado para interagir com o consumidor”, explica o executivo da Agência Enken.

Se você gostou das dicas, mas não tem ideia de como fazer, a gente separou um conteúdo especialmente para você ter resultado usando o facebook com apenas 30 minutos por dia, dá uma olhada aqui 😉

Via: Empreendedor Online

Categorias
Facebook

Facebook prepara aplicativo mais leve para celulares

Facebook divulga preparativos para aplicativo mais leve para celulares.

O gigante americano das redes sociais, Facebook, prepara um aplicativo mais leve para os telefones celulares clássicos, “Facebook for every phone” (Facebook para todos os telefones), informou no domingo o New York Times em seu site.

O gigante americano das redes sociais, Facebook, prepara um aplicativo mais leve para os telefones celulares clássicos, “Facebook for every phone” (Facebook para todos os telefones), informou no domingo o New York Times em seu site.

O aplicativo, que exige menos dados informáticos que os aplicativos atuais do Facebook para Android ou iPhone, deve permitir que os detentores de telefones celulares clássicos tenham acesso ao Facebook de seu telefone, como fazem atualmente as pessoas que possuem smartphones, disse o jornal.

Segundo o New York Times, o Facebook deve anunciar em breve os resultados deste projeto, no qual trabalha há dois anos.

O “Facebook for every phone” tem por objetivo alimentar o crescimento do grupo nos países emergentes, onde os telefones celulares tradicionais ainda são a regra, enquanto o crescimento dos utilizadores da rede social está se estancando nos países desenvolvidos.

Via: Info

Categorias
Internet Lemonblue Internet

Facebook ou Google+: qual é melhor?

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Ainda que os números apontem grandes diferenças, a batalha é de gigantes. De um lado, a rede de Mark Zuckerberg, com cerca de 1 bilhão de usuários; do outro, a segunda maior rede social do planeta – o Google+, que vem conquistando e agradando cada vez mais usuários – alguns, inclusive, “roubados” do Facebook.

Especialista em redes sociais, a jornalista e blogueira Samantha Samegui tem perfil cadastrado e usa “bastante” as duas redes sociais. No Facebook ela entrou há muito tempo, principalmente para manter contato com amigos que fez no exterior. Já o Google+ ela começou usar mais recentemente; há quase um ano.

A jornalista, que escreve sobre comportamento e cultura para famílias, administra algumas “fanpages” no Facebook, ainda que prefira a rede para manter contato com amigos. Já no Google+, o uso é mais profissional – seu perfil já tem quase 400 mil seguidores.

Ela explica que no Google+ há facilidade para se seguir assuntos “macro” de interesse, e que agora ocorre um processo de criação de comunidades, que eram bem famosas no Orkut e, no Facebook, são os grupos. “Agora a gente pode importar a comunidade do Orkut e essa é uma ferramenta interessante: você importa tudo o que tinha na sua comunidade (não todos os fóruns) e as pessoas que faziam parte são convidadas a entrar na nova”, comenta Samantha.

E por essa atividade intensa nas duas maiores redes sociais do mundo, ela conseguiu avaliar diferentes usuários e aplicações nas duas plataformas.

“Nas comunidades é que há um foco e as pessoas conversam mais do que no Facebook. As pessoas querem interagir; quando você posta um conteúdo, elas respondem”, diz.

Já no Facebook, segundo ela, as pessoas até clicam ou curtem as coisas que você publica, mas a maioria não interage – ou quando responde, acaba usando outro meio para conversar.

Claro, assim como a Samantha, já existe muita gente experimentando as duas plataformas, mas ela acredita que a maioria dos usuários de uma ainda não testou a outra.

“As pessoas que usam as duas ainda não encontraram esse modelo, elas tentam repetir o de um para o outro e eu não sei como elas vão encaixar. Eu acho que a tendência é que elas acabem preferindo uma”, opina a jornalista.

Talvez o grande destaque do Google+ fique por conta de suas ferramentas e toda integração com aplicativos do Google, como Gmail e Hangouts, por exemplo. O Facebook tem chat em vídeo, mas a ferramenta não oferece as mesmas funcionalidades do bate-papo em vídeo do Google+. Na rede do Google, os usuários podem criar um “ponto de encontro” e conversar em grupo ou assistir a um vídeo do YouTube juntos.

“O Hangout é uma ferramenta que eu uso para as reuniões com a minha equipe que estão em trabalho remoto, especialmente agora que eu estou em casa porque estou em licença maternidade”, comenta Samantha, que faz o alerta: “Quando as pessoas migrarem, se elas migrarem, para o Google+, eu acho que ele tem ferramentas por enquanto melhores.”

Outra diferença que vale destaque é o feed de notícias. No Google+ é mais fácil receber atualizações sobre os assuntos que mais lhe interessam. É possível, por exemplo, escolher temas como “tecnologia” ou “artes” e saber tudo o que está rolando sobre o assunto sem ser interrompido por uma publicação de um amigo ou uma foto.

Outra constatação: o usuário do Facebook, hoje, está principalmente nos dispositivos móveis como tablets e smartphones. Já no Google+, o uso ainda é maior no computador.

Agora, se tivesse que escolher…

“O público ainda é maior e você encontra todo mundo lá. Enquanto o Facebook for o lugar que você encontra todo mundo, ainda vai ser melhor, não há nenhuma ferramenta que seja melhor do que as pessoas, porque você entra em rede social pra ter contato com os outros.”

E você, o que prefere? Também já experimentou as duas maiores redes sociais da atualidade, Facebook e Google+? Será que a plataforma do Google algum dia vai superar a de Zuckerberg? Deixe sua opinião nos comentários. Participe, faça parte da comunidade mais conectada do país e alimente mais uma saudável discussão.

Via: Olhar Digital